Sobre nós
FALANDO SOBRE
Dra Luciana S. Pasquali Garcia

Experimentando Sabores

Ah! Seis meses completos... Inicio da alimentação complementar: introdução das frutinhas e papinhas. Que delícia! Meu bebê já está crescendo...

São tantas expectativas e muitas vezes a frustração ocupa o lugar de todos estes sonhos. " Quando ofereci a papinha, meu bebê nem abriu a boca, cuspiu tudo... Não aceita as frutas...ou não aceita a papinha amassada" ... O que fazer??!!

Se existisse uma fórmula mágica com certeza o inventor estaria muito famoso...Na verdade cada criança reage de formas diferentes, mas vamos olhar algumas dicas.

Primeiramente se o bebê se recusar a comer a papinha, não transpareça a angústia na frente dele (chore no quarto depois kkkk), tente oferecer por uns 10 minutos e se não tiver sucesso, encerre a refeição. E então? Vamos aguardar pelo horário da próxima alimentação, as 14 ou 15h, por exemplo se for após o almoço. Não ofereça nada em troca, nem seio, mamadeira, suco, fruta, bolacha, nada... Sim...deixe-o sentir fome.

Vamos ensinar a criança o conceito de fome, assim ele vai aprendendo que hora de mastigar e comer a papinha é naquele horário e não há substitutos. Alguns bebês podem ter algum distúrbio de mastigação ou deglutição, mas não são todos. A maioria só precisa ser EDUCADO!

E para os maiores? Meu filho não quer a carne, ou não come salada, ou não quer o arroz. As preferências individuais sempre vão existir desde cedo, mas devemos oferecer o mesmo alimento várias vezes para nos certificarmos quais são as preferências dos nossos. Por exemplo uma criança que não come batata, mas aceita o arroz ou a mandioquinha, após algumas tentativas, não há problemas, supre suas necessidades com alimentos do grupo.

E muito importante que lembremos que a família e o espelho que a criança tem! Então não queira uma imagem colorida se a que vc pratica é branca e preta (associando com as cores no prato)!!! Filhos repetem o comportamento dos pais, irmãos e familiares, inclusive o alimentar. Alguns trabalhos mostram que se colocarmos diariamente alimentos específicos no prato, uma hora a criança se interessa em experimentar. Coloque todos os dias a salada, mesmo que o pequeno não queira, em algum momento ele vai se interessar.

Quando a refeição é feita com outras crianças, muitas vezes este processo é ainda mais fácil. Invente historinhas, leve os maiores a feira, ao supermercado, oficinas culinárias, ajudar no preparo das refeições, fazer desenhos com os alimentos no prato... tudo isso estimula o interesse por experimentar novos sabores!!

Não desista!! Sempre com a nossa paciência materna e regando com o amor de mãe as refeições dos nossos pequenos!

Uma outra técnica de introdução dos alimentos é o método BLW, no qual o bebê se alimenta sozinho.Os alimentos são oferecidos em pedaços e o bebê auto-regula o que come. Ainda existem muitas dúvidas sobre este método, principalmente quanto ao valor nutricional ofertado, deficiência de ferro na refeição e possíveis engasgos. Mas podemos mesclar as duas técnicas: papinhas + pedacinhos e obter resultados muito positivos.

 

< Voltar

Compartilhe